quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Vingar-se ou não? ...

E apareceu uma primeira colaboradora!
Agradecemos Myrna pelo texto enviado para nosso e-mail
floresefarpas@gmail.com, o qual publicamos a seguir..
(Detalhe: Myrna nos pediu que ilustrássemos seu texto, pois não tinha jeito para essas coisas. Aí vai, Myrna, se não gostar, pode reclamar que a gente troca)



Não gosto de ser maldosa, nem sou a favor de vinganças, mas vou contar para vocês o que aconteceu com o filho da puta que traiu uma grande amiga minha, descaradamente.

Foi o primeiro namorado de Marina e esta foi apaixonada por ele a vida inteira. Um dia, apareceu outra mulher na vida dele. A gravidez inesperada da “concorrente” convenceu-o a casar-se com ela. Marina quase morreu de desgosto, mas o amor foi maior que a dor. Ele, por sua vez, resolveu levar vida dúbia e foi mantendo um relacionamento com as duas. Dizia-se muito infeliz e suplicava a Marina que esperasse a criança nascer, pois tão logo acontecesse isso, voltaria para ela. Ela acreditou. Depois que a criança nasceu, pediu-lhe que a esperasse crescer um pouco. A criança cresceu, mas era doentinha, então era preciso esperar que ficasse um pouco mais velha. Um dia, quando a filha já estava com 15 anos, ficou muito mal e faleceu. Passado um ano do luto, Marina perguntou-lhe o que resolvera fazer com sua vida. Ele lhe pediu mais um pouco de paciência porque não podia deixar a mulher, agora deprimida devido à morte da filha. Minha amiga começou a desconfiar que iria ficar para trás. Durante todos esses anos, foi mulher de um homem só, mesmo vendo-o somente um dia por semana e nunca num fim de semana. Mas, valeria a pena esperá-lo mais um pouco, afinal, nunca conseguira imaginar sua vida sem ele. Passados dois anos da morte da filha, ele resolveu desaparecer. Nem um telefonema para Marina, nem um e-mail, nem um recado, nem um sinal de fumaça ...

Suportar sua ausência foi pior do que suportar seu casamento. Já não sabia nem se ele ainda estava vivo ou se acontecera alguma desgraça. Passados uns dois anos, eis que um dia, perambulando pelo Orkut, quem Marina encontra? ... O próprio! Estado civil: “namorando”. Correu na página de fotos: havia inúmeras, junto a uma morena estonteante (que não era sua esposa), bem mais nova que Marina, por sinal. Legenda: “Eu e minha namorada...”

Nem preciso explicar que o choque quase a matou. Passados alguns dias, não aguentou e resolveu fazer-lhe uma surpresinha... adicionou-o no seu rol de amigos. E não é que o filho-da-puta aceitou? ... E, além de aceitar, ainda começou a lhe enviar recados carinhosos, o que veio despertar o ciúme da namorada, é claro! Ele, por sua vez, começou a cortejá-la e a convidá-la para sair novamente. Contou sobre o divórcio e garantiu que já terminara com a morena (estonteante). Marina, feito gata escaldada, não aceitou. Descobriu que ele ainda estava com a tal, quando esta lhe procurou para pedir que parasse de dar em cima do seu homem, falando um monte de impropérios e ofendendo até sua quarta geração...!

Marina ficou calada. Diante de um caso perdido achou melhor não arrumar confusão. Quando recebeu um telefonema dele convidando-a novamente para sair, apenas repetiu “não”. Ontem, ele a procurou, todo machucado. Ele e a morena haviam brigado e ela havia lhe jogado um objeto pesado no rosto; havia até precisado levar alguns pontos. Havia dado queixa na polícia e queria que ela fosse sua testemunha contra a morena (estonteante). Havia declarado, para a feitura do BO, sobre as ofensas que ela fizera a Marina, pelo telefone. Minha amiga pensou, pensou e foi depor. Afinal, ouvir o que ela ouvira da talzinha, sem merecer... estava aí a chance de se vingar.

E se vingou mesmo!

Na delegacia, ao ser indagada sobre o ocorrido, desmentiu tudo o que ele havia declarado, tendo, inclusive, tecido elogios à outra. Falou de sua simpatia, afirmando que não conseguia acreditar que uma pessoa tão doce pudesse ser capaz de uma atitude dessa. E foi sob o olhar atônito de seu ex que ela ainda acrescentou: - Conheço este homem há mais de 30 anos, Sr. Delegado e posso lhe garantir que ele é capaz de dar todos os motivos para uma mulher indefesa ter que se defender de alguma forma. Se foi ela mesmo quem fez isso, o Sr. pode ter certeza que foi por um bom motivo.

Agradeceu em silêncio à mulher que tirou o palhaço de sua vida.

Virou as costas e saiu...

Myrna

8 comentários:

Daniela Milagres disse...

Olá... tudo bem??? Pode voltar sempre ao blog, faça assim como eu!!! Rsrsrs... Fico feliz que tenha curtido... Agora estarei sempre por aqui tb... Beijo Grande e bom ano pra gente né?

P_. disse...

Bia, obrigada pela visita. Volte sempre que quiser.
Agora estou viajando, mas tão logo chegar em casa venho visitar com mais calma.


beijo =)

Dama de Cinzas disse...

Olha o troco que ela deu foi muito pouco por todos os anos que ele a fez de idiota!

Eu já tive um relacionamento com um cara casado, e foi uma das piores experiências da minha vida, dei alguns meses de prazo para que ele se decidisse, como não o fez, eu mesma saí da vida dele, ainda gostando muito do safado.

Homens assim não valem dias de nossas vidas que perdemos com eles!

Beijocas

Bia e Luca disse...

A primeira participação por e-mail...? Viva! Olha Myrna, pior é que existem mesmo homens desse tipo e, até piores viu? Eu mesma, teria uma lista de uns 3 ou 4 que mereciam uma vingancinha. Faltou coragem, por isso nunca tomei nenhuma atitude como a sua amiga. Meus parabéns à coragem da moça. Myrna, adoramos a sua colaboração e que ela seja a primeira de muitas pra gente publicar. Bjinho, garota. (Luca Bernardi)

Mysteryos@ disse...

Olha, tiro o chapéu pra Myrna.
Ele achou que certamente ela continuava sendo aquela bocoh que sempre foi, caiu do cavalinho, como dizem, e ela se mostrou uma MULHER que merece aplausos.
Hummm, vou deixar isso bem arquivado na minha memória, pois nunca se sabe se algum dia a gente vai precisar tomar alguma iniciativa como esta.
Beijos

Menina do Rio disse...

Marina tem vocação pra "outra".
Esperemos que não caia num segundo conto.
Essa história de aparecer outra grávida já aconteceu com um ex meu na minha adolescencia. Deixei-o lá com ela e ganhei o mundo. Viajei, conheci outros homens, me casei, tive duas filhas lindas, aprendi novas culturas e cá estou linda e fagueira!

Ele? Está lá na mesma cidadezinha, com um "puta" barrigão, vivendo um casamento de fachada. e desestressando na pescaria...

Meninas, adorei vossa visitinha, assim como as palavras deixadas. Soaram lindas aos meus ouvidos (no caso, olhos).

Meu blog apesar de eu ser brasileira, é frequentado quase que exclusivamente pela malta portuguesa, o que pra mim é uma grande honra ser lida pelos seguidores de Camões.

Um bem haja e boa sorte para o blog. Está fora de série!

Secreta disse...

Um ensinamento de vida. Todos temos de acreditar que há sempre uma forma de dar a volta por cima.
Beijito.

Anônimo disse...

Puxa que estréia, este Blo está bombando, amei a ideia, genial, não há terapia melhor , aguardem que Lady K também tem uma história para contar. Beijos.