segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Descobrindo o prazer!



Com quase quarenta anos, eu descobri a Internet.
A Internet entrou na minha casa, pela necessidade de colocar meus filhos conectados com o mundo. Entrou na minha casa, mas eu não me permitia pensar que pudesse entrar na minha vida. Coisa de gente jovem, eu pensava. Aquilo tudo era louco demais e não combinava com a minha idéia de modernidade.
Eu não fazia idéia de como ligar o PC (então era esse o apelido do bicho?) e tinha medo de que, por um mau uso, pudesse estragar alguma coisa, causando danos irreparáveis e extremamente caros. Fui aos poucos aprendendo e perdendo o medo.
Ouvia falar que pessoas se encontravam, conversavam e até marcavam encontros. Tudo através das salas de bate-papo – os chat’s.
Ao mesmo tempo em que a curiosidade, era algo latente, havia o medo de transgredir.
Numa noite (era um sábado), estava sozinha em casa e a solidão pesava. Resolvi me aventurar, entrei muito tímida e tateando em terreno incerto.
Inexperiência era meu nome e achei que deveria ser sincera, porque os primeiros homens com quem conversei... (claro! Procurei o sexo oposto, que se é pra torrar o sábado, que seja na companhia certa pra mim), falavam que as pessoas mentem nos chat’s e que não é rara, a decepção na hora do encontro real.
Mostrei foto, disse meu nome, passei meu endereço “oficial” de e-mail...tudo certinho.
Lá pelas tantas, outro gato chamou e demorei alguns bons minutos, pra voltar ao primeiro papo. Qual não foi minha surpresa, quando ele disse com todas as letrinhas do teclado:


- Sua sorte é que sou um cara do bem, porque só existem duas “Luca B.” na cidade e aposto dez contra um, que você é a Luca que mora em Moema.


Perdi o chão, o rumo e quase caí da cadeira.
Ingênua, quando passei meu endereço oficial de e-mail, não me liguei que nele estava meu nome completo. Daí pra me localizar, foi um passo. Educado, perguntou se podia ligar pra dar boa noite e é óbvio que ligaria, mesmo se eu não permitisse.
Não deu em nada o tal telefonema, mas serviu de alerta pra mim.
Internet, salas de chat, sites de relacionamento...? Beleza!
Mas, tratei de esquecer o endereço oficial de e-mail.

Luca B.

6 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu já era fascinada pela internet mesmo antes de saber o que era exatamente, só de ouvir falar, quando tive minha primeira oportunidade de entrar fiquei encantada. Mas tb quebrei muito a cara com gente errada. Hoje minha relação com a internet é bem sadia!

Beijocas

Anônimo disse...

Hummmmmmmmmm....parece que me identifico com toda a narrativa, acho que o começo foi igual para muitas de nós. Navegando encontrei este cantinho legal. Continuem , não desistam da empreitada, Lady K está aqui.

Anônimo disse...

Ora, ora, companheira, confesso que não conhecia essa história. Mas também já conteceu comigo, bem parecido...kkkkkk. Bia

Mysteryos@ disse...

Olha, não ficarei atrás nessa não.
Já passei por cada pedacinho nesse mundo virtual, que nem te conto.
Ah vou contar sim, mas mandarei por e-mail e todo mundo vai poder ler, me aguardem.
Beijos.

JoAnInHa disse...

Desculpa a invasão,mas gostei mto do teu blog e nao pude deixar de comentar, teñs de facto posts muito interessantes, parabens!

Beijinhos,continua =)

Cris disse...

Dá um medo saber que estamos tão expostas assim na rede... e ao mesmo tempo ela exerce um fascínio incontrolável. C´e la vie